Uma investigação sobre felicidade.

IMG_8634

Presta atenção! – como a meditação deixa você mais feliz

Por Karin Hueck A primeira vez que meditei, eu estava há milhares de quilômetros de casa, dando as mãos para uma amiga e um senhorzinho que eu não conhecia e sendo guiada rumo à iluminação por uma completa estranha numa língua que não era a minha. Tinha tudo para ser um fracasso. Eu havia tomado chuva o dia inteiro, o trabalho tinha dado errado, eu estava há uma semana comendo uns negócios estranhos à base de…

Continue lendo

pequenos-prazeres

O lado fantástico da vida comum

por Fred Di Giacomo Cheiro de chuva caindo na terra me faz feliz. Eu não posso te explicar exatamente porque, mas me conecta com algum lugar bom e seguro da minha infância. Dias ensolarados de outono e finais de tarde durante o verão têm efeito parecido. São pequenas doses de “Rivotril” que o universo distribui sem cobrar nada em troca. Meu irmão fica feliz quando seu time ganha e diz que vive para ver a…

Continue lendo

treptowerpark-parque-berlim

O que faz uma cidade feliz

Sair de Berlim no auge do verão, com o calor batendo os 35 graus, foi duro. Foi duro porque é difícil lembrar que nem sempre o tempo é agradável assim na Alemanha – a grande maioria dos dias é fria e cinza. Mas mais duro ainda foi me despedir da relação especial que desenvolvi com a cidade. Berlim é uma companheira generosa, flexível e carinhosa – melhor que muito namorado por aí. Se você teve…

Continue lendo

sem-fio-gluck-felicidade

5 conselhos simples para ser feliz

Em nossa temporada berlinense conhecemos o Denis – criador do  Sem Fio, um site que reúne vídeos de brasileiros espalhados pelo mundo mostrando como é a vida fora do país. O Denis convidou o GLÜCK para fazer uma parceria, criando um vídeo sobre felicidade filmado em Berlim. Depois, os demais colaboradores do Sem Fio criariam outros vídeos falando sobre a felicidade ao redor do mundo. Nosso vídeo você pode assistir abaixo e reúne cinco conselhos simples…

Continue lendo

Ilustrações: Renata Miwa

Como eu perdi (e depois reconquistei) a alegria de ver filmes

por Otavio Cohen Eu e meu pai demoramos a nos conhecer. Quando eu era pequeno, ele trabalhava em outra cidade e só vinha para casa uma vez a cada dois meses, trazendo caramelos e bonecos dos Cavaleiros do Zodíaco. Mas ele precisava ligar antes e perguntar se eu gostava mais do Hyoga ou do Shiryu (era muito difícil achar bonecos do Seiya naquela época). Eu tinha sete anos quando voltamos a morar na mesma casa,…

Continue lendo

Posts mais antigos