Glück Project

Uma investigação sobre a felicidade

janeiro 2014

Simplicidade voluntária: a história dos brasileiros que optaram por uma vida mais simples

Você já ouviu falar de “simplicidade voluntária”? Esse estilo de vida prega uma vivência na qual as pessoas escolhem diminuir a preocupação com riqueza e consumo, tendo uma vida mais simples por opção. A matéria do Fantástico abaixo entrevista algum dos brasileiros que adotaram a simplicidade voluntária. – Nosso site te ajudou? Apoie o Glück!  Veja também: – Como a filosofia explica a felicidade? -Como ser feliz no trabalho?

Aceitar é preciso

por Fred Di Giacomo “Conhece-se a si mesmo sem se exibir ama-se a si mesmo sem se dignificar”, Lauzi, “Tao Te Ching” Quando se é uma criança curiosa, aprender coisas novas é uma das grandes diversões da vida. “Por que o céu é azul?” “Como as crianças nascem?” “O que acontece quando a gente fica velho?” Eu ainda era bem pequeno quando descobri que todo mundo que eu conhecia iria morrer um dia: meus pais, meus avós, meus coleguinhas e…

Continuar lendo

Como ser feliz no trabalho

por Karin Hueck Outro dia andei lendo sobre a vida de Franz Kafka, o autor da Metamorfose, a pessoa que me incutiu o medo de um dia acordar transformada em um inseto monstruoso. Já sabia que ele não havia publicado boa parte de suas grandes obras em vida e que nunca foi reconhecido como escritor. Chegou ao leito de morte com uma grande crise artística e pediu que seu amigo Max Brod queimasse todos os originais que ele havia deixado. (Felizmente…

Continuar lendo

A história da menina que saiu da favela, entrou na universidade e veio morar em Berlim

Suely Torres avisa que não quer se fazer de coitadinha e pede esse cuidado na edição do seu perfil. A professora de português não é coitadinha. Ela é uma guerreira do cotidiano  com uma história de luta e inspiração que começa na infância, vivida com a mãe adotiva numa favela em Recife; passa pela empolgação de entrar na escola aos treze anos de idade; segue pela aprovação na Universidade Federal de Pernambuco e culmina na decisão de mudar para Berlim…

Continuar lendo

Como deixei de ser corrupta

por Karin Hueck Eu tinha vinte e poucos anos quando deixei de ser corrupta. Desisti da vida suja que levava, cansei de conviver com o medo de ser pega, e voltei à legalidade. Não queria mais entrar em meios escusos para ganhar dinheiro, pedir favores a fornecedores duvidosos, nem dizer que sou algo que não sou. Aos vinte e poucos anos de idade, parei de falsificar carteirinha de estudante. Todo mundo ao meu redor carregava no bolso algum tipo de…

Continuar lendo