Glück Project

Uma investigação sobre a felicidade

maio 2014

Por que invejamos a felicidade alheia?

Postado em 28 de maio de 2014

por Fred Di Giacomo O brasileiro nunca esbanjou tanto. Seja o garoto da quebrada cantando o funk ostentação vestindo Oakley e Lacoste, sejam os novos ricos que fazem seu enxoval em Miami e gastam os tubos em festas caríssimas em Nova York, sejam os jovens da geração Y largando tudo para dar a volta ao mundo e espalhando suas fotos pelo Facebook e Instagram. Em um universo recheado de redes sociais, o “esbanjamento” alheio está aí pra quem quiser ver….

Continuar lendo

Ao mestre com espinhos

Postado em 19 de maio de 2014

por Fred Di Giacomo “Quando seu pai sai de noite pra trabalhar, eu fico com medo”. Meu pai não é policial, carcereiro ou bombeiro. Mas todos os dias trabalha em um lugar trancado por cadeados, com grades nas janelas e marcado por violência. Esse lugar é uma escola estadual e meu pai é professor de história. Minha mãe tem medo porque meu pai já foi ameaçado, xingado e agredido. Ele é mais um dos milhares de professores que acreditaram que…

Continuar lendo

"Todo mundo pode mudar o mundo"

Postado em 14 de maio de 2014

“Quem se Importa é mais que um filme, é um movimento que inspira pessoas transformadoras. Somos uma plataforma de divulgação do Empreendedorismo Social que com sua ajuda levará a mensagem do filme para escolas, empresas, ongs, redes sociais e qualquer pessoa interessada em potencializar o seu próprio poder de transformação.” Esta é a mensagem e a missão da equipe que criou o documentário “Quem se importa?” que conta a história de empreendedores sociais que têm mudado suas comunidades. Como diz o documentário,…

Continuar lendo

Sim

Postado em 13 de maio de 2014

Por Karin Hueck A história que mais gosto de contar na vida é a de como John Lennon e Yoko Ono se conheceram. Não me lembro mais onde li – provavelmente nesta biografia do beatle – mas era mais ou menos assim. Certa vez, John resolveu visitar uma exposição com as obras de Yoko, que ainda não era muito conhecida. Entrou e não gostou de nada do que viu – achou que o lugar estava cheio de arte sem sentido….

Continuar lendo

O homem que transformou lixo e – a vida dos catadores – em arte

Postado em 13 de maio de 2014

Vik Muniz – um dos grandes nomes da arte contemporânea mundial – é o artista brasileiro que mais vende obras no exterior. Vindo de uma família pobre, Vik resolveu fazer alguma coisa para retribuir à sociedade tudo que ganhou. Foi daí que surgiu a ideia de transformar lixo em arte. Vik passou dois anos no maior lixão do mundo trabalhando com catadores e transformando seus retratos em obras gigantescas compostas de materiais jogados fora. O dinheiro arrecadado com a venda das…

Continuar lendo

Artistas transformam prédio abandonado há 20 anos em centro cultural

Postado em 13 de maio de 2014

Uma das coisas que transformou Berlim numa das cidades mais incríveis do planeta foi a ocupação dos espaços públicos pelas pessoas. Enquanto a cidade estava dividia e abandonada, graças ao muro e à Guerra Fria, muitos estudantes e artistas ocuparam prédios públicos abandonados, praças e galpões e os transformaram em centros culturais, casas, galerias e cafés. Pessoas criativas podem transformar suas cidades em espaços criativos. Parece essa a intenção deste grupo de jovens artistas que ocupou um prédio público –…

Continuar lendo

Do que eu falo quando falo sobre "largar tudo”

Postado em 5 de maio de 2014

por Fred Di Giacomo Você também sente que tem algo errado com a forma que nos ensinaram a viver nossas vidas? O que tem levado pessoas de classe média e alta – que atingiram seus sonhos de consumo e status – a se sentirem profundamente infelizes? Por que o dinheiro e o conforto não lhes basta? Uma pesquisa da Universidade de Princenton diz que dinheiro traz, sim, felicidade. Traz felicidade quando ele permite que as pessoas tenham uma vida decente com saúde,…

Continuar lendo

"Há neste mundo mais medo de coisas más do que coisas más propriamente ditas", Mia Couto

Postado em 1 de maio de 2014

por Mia Couto Murar o Medo O medo foi um dos meus primeiros mestres. Antes de ganhar confiança em celestiais criaturas aprendi a temer monstros, fantasmas e demónios. Os anjos, quando chegaram, já era para me guardarem. Os anjos actuavam como uma espécie de agentes de segurança privada das almas. Nem sempre os que me protegiam sabiam da diferença entre sentimento e realidade.  Isso acontecia,  por  exemplo, quando me ensinaram a recear os desconhecidos. Na realidade a maior parte da violência contra as crianças sempre foi praticada, não…

Continuar lendo