Glück Project

Uma investigação sobre a felicidade

Karin Hueck

Um livro, um filho, uma árvore

por Karin Hueck Vou dar à luz nos próximos dias e ouvi de muita gente com filhos que os livros acabaram esquecidos nos primeiros meses de bebê. Como não consigo imaginar minha vida sem eles (os livros, no caso; sem filhos tenho vivido até agora), tratei de ler o maior número possível de páginas em 2015 – quase todas nas madrugadas insones causadas pelo barrigão. Vi muitas auroras surgirem ao lado do meu Kindle no ano passado. Dos 61 livros…

Continuar lendo

Preste atenção! – como a meditação deixa você mais feliz

Por Karin Hueck A primeira vez que meditei, eu estava há milhares de quilômetros de casa, dando as mãos para uma amiga e um senhorzinho que eu não conhecia e sendo guiada rumo à iluminação por uma completa estranha numa língua que não era a minha. Tinha tudo para ser um fracasso. Eu havia tomado chuva o dia inteiro, o trabalho tinha dado errado, eu estava há uma semana comendo uns negócios estranhos à base de milho e estava mais de…

Continuar lendo

Para que serve a utopia? Eduardo Galeano responde

O escritor uruguaio Eduardo Galeano começa o vídeo abaixo descrevendo o medo que nos cerca – está no amor, no ar, na comida, no pensar – e termina falando das boas histórias que nos cercam. Mas é sua definição de utopia a mais bela deste videozinho, um recorte de leituras e pensamentos do escritor. Vale como uma pequena aula de como viver melhor. Gostou do nosso site? Apoie o Glück!  Leia mais: – Como os livros podem salvar a sua vida

O que faz uma cidade feliz

Postado em 5 de agosto de 2014

Sair de Berlim no auge do verão, com o calor batendo os 35 graus, foi duro. Foi duro porque é difícil lembrar que nem sempre o tempo é agradável assim na Alemanha – a grande maioria dos dias é fria e cinza. Mas mais duro ainda foi me despedir da relação especial que desenvolvi com a cidade. Berlim é uma companheira generosa, flexível e carinhosa – melhor que muito namorado por aí. Se você teve um dia ruim, era só…

Continuar lendo

Para viver leve

Postado em 15 de julho de 2014

Por Karin Hueck Faltam oito dias para o fim da temporada berlinense e o clima aqui em casa é de nostalgia/ansiedade/empolgação, com uma lista enorme de afazeres e pequenas montanhas de bagunça espalhadas por todos os cômodos esperando organização. Temos uma única meta para essa última etapa. Voltar com a mesma quantidade de coisas que viemos: duas malas (cada um, porque ninguém é de ferro, néam). Quando nos mudamos do Brasil, resolvemos guardar tudo que tínhamos porque o plano era…

Continuar lendo

A felicidade do "não"

Postado em 1 de julho de 2014

por Ale Kalko (A Ale Kalko é uma artista e ilustradora que fez uma série de desenhos retratando como um “não” pode ser libertador. Podem ser até um certo tipo de felicidade, na verdade. Ela explica:) “sonhos (im)possíveis a gente fica numa ansiedade de realizar sonhos impossíveis e de ficar idealizando coisas inatingíveis pra vida é sempre bom ter a pontinha de esperança que uma coisa vai dar certo e tal mas se não dá ou é impossível a gente…

Continuar lendo

Como o futebol deixa as pessoas mais felizes

Postado em 16 de junho de 2014

Por Karin Hueck O alemão não é um povo que demonstra felicidade com facilidade. Uma vez, logo quando cheguei aqui, encontrei a carteira de um rapaz num bar, logo depois que ele havia ido embora. Peguei-a e saí correndo atrás dele para devolvê-la. Toda esbaforida entreguei a carteira para ele, que me olhou sério, acenou bem leve com a cabeça e disse: “obrigado”. Saí da experiência com raiva – como assim não ganhei nenhum sorriso? O mesmo acontece em toda…

Continuar lendo

Viajo porque gosto, volto porque te amo

Postado em 9 de junho de 2014

Por Karin Hueck Desde que o ser humano é humano, ele viaja. Saímos ainda hominídeos da África para viver nas geleiras dos polos e na inospitez das florestas tropicais. Topamos enfrentar a distância, os caminhos tortuosos, a saudade e os banheiros de aspecto duvidoso para conhecer os confins do mundo. Eu mesma só estou aqui porque em algum momento do passado minha avó, aos dezoito anos, decidiu deixar a aldeia de 300 pessoas em que vivia no interior de Portugal…

Continuar lendo

Sim

Postado em 13 de maio de 2014

Por Karin Hueck A história que mais gosto de contar na vida é a de como John Lennon e Yoko Ono se conheceram. Não me lembro mais onde li – provavelmente nesta biografia do beatle – mas era mais ou menos assim. Certa vez, John resolveu visitar uma exposição com as obras de Yoko, que ainda não era muito conhecida. Entrou e não gostou de nada do que viu – achou que o lugar estava cheio de arte sem sentido….

Continuar lendo

Silêncio, por favor

Postado em 28 de abril de 2014

Oi, meu nome é Karin. Se você me conhece ou já conversou comigo, talvez tenha reparado que faço caras estranhas enquanto você fala. Talvez eu cubra a minha boca. Talvez eu olhe para o lado. Mas prometo que não estou entediada – eu apenas fico confusa com pessoas. Honestamente, às vezes, elas me assustam um pouco. Assim como um terço da população mundial, não me dou muito bem em situações sociais. Sou uma introvertida. Já faz um tempo que está…

Continuar lendo

anterior