Ele escolheu morar na rua e encontrou o sentido da vida

por Fred Di Giacomo

Nascido numa família de classe média, Eduardo Marinho tinha uma vida confortável e abastada. Ele passou num concurso do Banco do Brasil, depois entrou na escola militar e, finalmente, foi aprovado na faculdade de direito – mas estava profundamente angustiado. Foi então que largou tudo para buscar um sentido para vida. Chegou a morar na rua e dormir em cima de cama de papelão, mas encontrou a felicidade na simplicidade.

Os questionamentos de Eduardo começaram ainda na infância, quando ele foi com sua mãe até uma favela onde ela pagava uma promessa distribuindo comida para os necessitados. O pequeno Eduardo ficou chocado com a miséria que descobriu naquele dia e começou a perguntar por que algumas pessoas deviam viver assim. A sua angústia só aumentava a cada passo da jornada que se seguia: qual o sentido daquele trabalho no Banco do Brasil? Por que ele devia reprimir manifestações populares quando estava no exército? Como os militantes do movimento estudantil não conheciam os pobres de quem eles tanto falavam?

Cheio de dúvidas, Eduardo largou tudo e foi viajar pelo Brasil sem dinheiro e deserdado pela família. No caminho encontrou respostas para muitas de suas dúvidas e adquiriu uma maneira muito particular de enxergar o mundo e buscar uma vida mais justa. Uma maneira baseada mais na emoção que na razão.

Eduardo Marinho falando no TEDxCanoas

Os vídeos do Eduardo são muito inspiradores. Fogem dos clichês e dos discursos pré-fabricados e falam com o espectador direto no coração. São uma aula de vida. Mesmo para quem não pretende largar tudo de uma forma radical, como Eduardo, suas histórias trazem reflexão e apontam caminhos e possibilidades. É uma espécie de versão brasileiro do filme “Na Natureza Selvagem” com final feliz.

As sugestões dos vídeos foram do Tomilheiros, leitor do Glück 😀

Eduardo Marinho falando no TedxdaLuz

Veja também:
-Ensaio sobre a cegueira social
-Vale a pena largar tudo em busca da felicidade?
-A felicidade do trabalho manual

A pedido do próprio Eduardo Marinho publicamos aqui seu primeiro vídeo divulgado na web

=> Este post te ajudou? Então apoie o Glück! 😀
Se nossa investigação e nossos textos têm sido úteis para a sua vida e  se você quer apoiar o Glück a continuar gerando conteúdo de qualidade, apoie a gente. Como?
Assine
A forma mais prática de nos ajudar é fazer uma assinatura mensal do Glück. Funciona como uma assinatura de revista: você paga um preço fixo, que nos ajuda a ter uma estabilidade para produzir o conteúdo que você lê aqui. Existem três valores que você pode optar escolher para assinar:




Se você quiser fazer apenas uma doação única, insira o valor desejado abaixo (dá pra pagar com PayPal ou cartão de crédito):